29 maio, 2006

Um senhor no meio de miúdos

Acabou o Europeu de futebol para Portugal. Apesar de vencer a Alemanha e de igualar esta e a Sérvia em termos de pontos, os golos ditaram o afastamento do país organizador.

Não sou pessoa de chorar sobre leite derramado (muito menos quando se trata da selecção), mas admito que contava com mais desta equipa. Afinal de contas, jogaram em casa, com estádios cheios, são bons jogadores e fizeram uma qualificação brilhante. Mas tudo falhou neste europeu.

Falhou a preparação, já que só muito tarde conseguiram reunir todos os jogadores. Falhou a ligação com a selecção principal que a todos beneficiaria, já que Scolari e Agostinho Oliveira andam às turras.
Falhou o jogo mental, já que foi transmitido a um grupo de miúdos uma ideia errada que tinham a obrigação de ganhar e que era fácil.
Falhou o jogo inaugural, já que não houve equipa.
Falhou o jogo contra a Sérvia, já que não houve cabeça.
Falhou o último jogo, já que não houve jeito.

Mas no meio disto tudo é impossível não destacar Raúl Meireles.
Eu sei que o Bruno Vale, o Nani e o Varela também tiveram os seus momentos. Mas nestes 3 jogos só houve um elemento a jogar como gente grande.
Ele foi médio defensivo, ele foi médio atacante, ele foi central, ele apareceu na área como um ponta de lança, ele recuperou, ele passou curto e longo, ele fintou, ele rematou... Tinham-lhe dado umas luvas e ele tinha defendido.
Que ele é muito bom já todos sabíamos, que ele ia ser de longe o melhor deste Europeu não contávamos.
Parabéns Raúl.

Voltando à análise deste Euro, acho que ficou muito por dizer.
Por exemplo, não vi ninguém preocupado com o facto de chegarmos a um campeonato da Europa com um único ponta de lança (desculpem, mas para mim o Lourenço não conta como ponta de lança). E, pior, estamos a falar do Hugo Almeida.
Também não vi ninguém preocupado com o facto da nossa defesa ser composta por um central de uma equipa que desceu e que só há pouco se naturalizou, por um central de uma das defesas mais batidas da Liga, de um lateral direito que para além de ter jogado muito pouco também não está habituado a jogar com os colegas e um defesa esquerdo cuja única característica positiva que lhe reconhecem é ser do chelsea.
Também ninguém ficou preocupado com a vinda forçada do Quaresma para esta equipa e com o facto de assumirem que ele era a estrela maior da formação, quando todos sabemos como reage o Quaresma quando se acha o melhor.

Também ninguém achou estranho Portugal entrar com 3 médios defensivos num jogo que tinha que ganhar 3-0.
Também ninguém achou estranho o Agostinho não pôr um gajo que joga no Bolton e que por acaso faz qualquer posição na linha avançada.

Também ninguém criticou as substituições que a mim me pareceram sempre ridículas.
Também ninguém criticou um pseudo número 10 que marcou o único golo, mas que é incapaz de pegar na bola e conduzi-la, enfrentar os adversários e evitá-los como cabe a um verdadeiro número 10. Ainda por cima deu uma péssima imagem a Portugal ao passar a vida a atirar-se para o chão e ainda ir ao flash interview queixar-se.
Também ninguém criticou a falta de apoio dos senhores lá de cima, já que não se viu ninguém verdadeiramente ao lado desta equipa.

Também ninguém achou curioso a agressividade dos jornalistas e comentadores com estes miúdos, quando costumam ser tão calmos e pacientes com os meninos do Scolari.

Espero que sirva de lição. A todos.

10 comentários:

Adepto Fanático disse...

Estás a falhar.. Havia outro ponta de lança, para mim o melhor deles todos, e que teve pouquissimos minutos em campo. Para isto mais valia terem-no deixado ir a Toulon que ainda tinha idade: o seu nome é Ricardo Vaz Tê!

dR F. disse...

O tal do Bolton a que ela se referiu (a não ser que tenha editado o texto).

De resto, concordo em quase tudo.

Catarina disse...

Ya,tá lá.

Adepto Fanático disse...

My mistake, sorry. Mas ele é Ponta de Lança ;) e dos bons, por sinal...

_anitsirc_99 disse...

Ois!!!

Concordo plenamente com o k dizes do Raúl Meireles!!!

bjs

Lau disse...

Também contava com mais, mas Portugal já nos habituou a falhar nos momentos decisivos....

Catarina disse...

E eu disse que ele não era ponta da lança? Só disse que Portugal só foi com um para lá, porque depois destes 3 jogos foi o que me deram a entender. Ou em 2 jogos que não ganhámos e num que precisávamos de ganhar por 3 é normal não se pôr o Vaz Tê?

1893 disse...

Nao joga bem a pL, mas sou obrigado a concordar... Jogaram sempre com os pontas desapoiados...
1º jogo Hugo sozinho
2º jogo Hugo sozinho
3º jogo Varela mal acompanhado

miki disse...

hmm... isto fechou pArA fÉriAs?! :)

Catarina disse...

Tou sem tempo para isto... Muito estudo como sabes lol Amanhã vou tentar lembrar-me de escrever sobre o grd Portugal-Angola