09 fevereiro, 2006

Futebol português - Parte II

Outro dos grandes problemos do nosso futebol são, sem dúvida, as transmissões televisivas. Podem argumentar que este é um problema de todos os países onde o futebol é o desporto-rei e que é inevitável fugir ao controlo das cadeias mediáticas que enchem os bolsos dos clubes. Também podem dizer que sem a televisão qualquer clube português (talvez à excepção dos 3 grandes em condições normais) não resistiria muito tempo porque ficaria apenas com as receitas dos jogos.
Eu até não seria contra este domínio da televisão (falo de domínio porque em Portugal quem decide tudo são os canais televisivos e não os clubes ou a Liga), caso os estádios se enchessem de gente na mesma como em Espanha, mas assim é impossível gostar deste panorama.

A mentalidade Tuga diz-nos que é muito melhor passar uma noite bem quentinho no sofá lá de casa do que ter o trabalho de ir ver o nosso clube a jogar. Eu até compreendo. Nem toda a gente tem vida para andar a ir ver o clube a qualquer lado, a qualquer dia ou hora. Ainda por cima está frio, os nossos estádios não são nada por aí além e ir à bola está caro.
E as televisões não nos facilitam a vida. Semana após semana, o futebol português arrasta-se de 6ª a 2ª a horas que, sinceramente, não entram na minha cabeça. 21.30 não é hora para ninguém jogar. É uma estupidez forçarem uma equipa e os seus adeptos a voltarem a casa às tantas só porque dá mais jeito encaixar o jogo depois do Telejornal.

Além disso, por muito que os clubes pequenos ganhem pelos direitos televisivos dos jogos contra os grandes, também perdem porque não enchem o estádio, não atraem os adeptos da região e etc etc.
Já os clubes grandes, em vez de atraírem o público com bilhetes mais acessíveis, não querem saber disso para nada porque a televisão paga bem e porque, afinal de contas, somos todos uns otários porque vamos ao estádio na mesma.

E olhem bem para o exemplo inglês. Dão mais jogos na televisão e, no entanto, joga-se à bola a horas decentes e com estádios cheios. Eu sei que aqui intervêm mil factores e que nem tudo tem a ver com a relacão entre os clubes e as televisões, mas não deixa de dar que pensar.

O tal futebol moderno, que nos cansamos de insultar, passa muito por esta mediatização excessiva que nos veio estragar os domingos à tarde de rádio encostado ao ouvido para saber como iam os rivais. Sem repetições, sem comentadores ridículos, sem o conforto do sofá. Mas com muita mais emoção.

3 comentários:

Adepto Fanático disse...

E olhem bem para o exemplo inglês. Dão mais jogos na televisão e, no entanto, joga-se à bola a horas decentes e com estádios cheios. Eu sei que aqui intervêm mil factores e que nem tudo tem a ver com a relacão entre os clubes e as televisões, mas não deixa de dar que pensar.

Se o teu clube jogasse ao meio dia de domingo queria ver se achavas isso uma hora decente LoL

Catarina disse...

Já sabia que ias dizer isso lol

Anónimo disse...

olha olha... para mim então era em grande. De directa para a maior parte dos jogos LoLoLoLoLoL miki***